jusbrasil.com.br
16 de Agosto de 2017

Joesley Batista - A mente criminosa mais sórdida dos últimos tempos

Irritado com as acusações de Temer, o açougueiro mais corrupto da história do Brasil destila um pouco mais de seu veneno em entrevista exclusiva para a Revista Época

Nadir Tarabori, Advogado
Publicado por Nadir Tarabori
há 2 meses

Beneficiado por inúmeros esquemas de corrupção com o BNDES, iniciados no governo Lula e continuado no governo Dilma, ao dar-se conta que ele próprio era membro de uma organização criminosa, engendrou, maquiavelicamente, uma forma de sair-se bem de seus crimes.

Assim, o corrupto mais bem sucedido da história do Brasil, visivelmente irritado, concede uma entrevista exclusiva a um veículo de mídia e, de maneira hipócrita, quer se fazer passar por um homem de bem que se preocupa em acabar com a corrupção do país.

Joesley Batista - A mente criminosa mais srdida dos ltimos tempos

Dando início ao seu plano de sair-se bem, sem qualquer punição afirmou: Eu sempre achei que crime organizado era coisa de assaltante de banco, de ladrão de gado, de gente com espingarda em beira de estrada...”

Parece ter esquecido que abasteceu com dinheiro sujo muitas campanhas de políticos, comprando deles as benesses que a ele interessavam.

Investigado pela polícia federal, com fortes indícios de sua participação ativa em operações corruptas e escusas, decidiu atacar par se defender.

Sentindo-se acuado passou a avaliar as saídas que tinha. Percebeu que poderia obter uma vantagem até então inusitada. Negociar uma delação sem permanecer um só dia preso, com direito a continuar presidindo seu poderoso grupo formado em detrimento de centenas de milhares de escolas, de hospitais e melhor distribuição de renda. E mais, com o direito de residir em NY e assistir de camarote a transferência de suas empresas para a América do Norte.

Ele (Joesley) sempre desdenhou da má fama vinda da proximidade com o bando público. Acostumado a resolver seus problemas com cheques gordos, ele foi assegurando seu sucesso e bom trânsito bancando campanhas políticas de todos os matizes.

Acabou por tornar-se um delator. Aplicou nessa nova fase a mesma agressividade e intuição de homem de negócios. Converteu um procurador da República em seu espião; tentou comprar juízes (como revelou a Temer na conversa gravada por ele); armou flagrantes.

Para bons observadores, pelo menos com relação à conversas gravadas entre ele e o presidente Temer, não se vislumbra, de maneira clara e cristalina, qualquer cumplicidade criminosa.

Poder-se-ia até dizer que o presidente agiu com displicência, mas nunca como um cúmplice de deu aval a qualquer coisa.

Como um bom membro de crime organizado converteu-se em delator para salvar a própria pele como partícipe de uma ação controlada, microfone plantado e dinheiro com chip.

Convenhamos que a fita apresentada por ele era demasiadamente fraca para comprovar qualquer participação do presidente e, percebendo tal fragilidade, volta a carga, desta vez não como um “colaborador, mas sim como um vulgar “ganso policial”.

Não tenho e não quero bancar o defensor deste ou daquele político, pelo contrário, quero que todos eles sejam punidos exemplarmente, inclusive o açougueiro mais corrupto da história do Brasil.

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Bem caro Dr. Nadir,

Parece que tudo vai mudar para ficar como sempre esteve: "eles lá, no poder, nós cá, na miséria e no desgoverno.

Enfim se alguém pensou que algo iria mudar pela saída de Dilma, não deve ter atentado para o fato que todos continuam no mesmo lugar; os mesmos nos mesmos postos.

O pior é que alijaram Dilma do poder por excesso de incompetência, mas não a deixaram sem condição de voltar.

É como se continuássemos assombrados achando que a qualquer momento o falecido viria puxar os nossos pés.

Pois é, creio que realmente estamos mais do que assombrados, estamos perdidos nesse lamaçal de corrupção, com o festival dos larápios" bombando ".

Infelizmente, novas eleições se aproximam, e com toda certeza, novamente todos eles serão reeleitos para conturbar mais a mente daqueles que ainda pensam e se importam com os rumos do Brasil.

Parece não haver luz alguma no fim do túnel, nem a de um trem vindo ao nosso encontro.

Cético, descrente, incrédulo, são os melhores sentimentos; talvez os únicos possíveis enquanto essa casta governar e vilipendiar a nossa nação. continuar lendo